Chat online

Trabalhador idoso é experiente, mas precisa de atenção especial, ok?

envie para um amigo imprimir    Compartilhar Facebook

Está todo mundo velho, oba. Está todo mundo velho, oba! Até eu (rsrsrs).

Sim, a ciência e a medicina fizeram o favor de elevar a expectativa de vida das pessoas, inclusive no Brasil. Portanto, o número de idosos no País tem aumentado a cada ano e, nesse ritmo, tem crescido também a participação de pessoas acima de 60 anos no mercado de trabalho.

São 30 milhões de profissionais experientes, brasileiros, com mais de 60 anos. Segundo o IBGE, no segundo trimestre deste ano, 7,2 milhões, acima dos 60 anos estão inseridos no mercado de trabalho, o que representa 600 mil idosos a mais, trabalhando em relação ao mesmo período do ano passado. Agora, as empresas estão dispostas a investir na mão de obra da terceira idade? E mais: o idoso tem experiência e muitas características positivas para os empregadores, mas como é que fica a prevenção contra doenças e acidentes de trabalho desse contingente ‘especial’?

Entro nessa seara, porque este é o papel deste blog: abordar questões de SST. Assim, a gestão de segurança ocupacional do trabalhador mais velho deve avaliar as aptidões funcionais, uma vez que o processo de envelhecimento afeta as condições físicas e sensoriais. Com isso, na análise de risco o profissional de segurança deve levar em consideração algumas mudanças no ambiente laboral. Os riscos estão relacionados ao excesso de atividades pesadas do ponto de vista físico, as consequências negativas com o trabalho por turnos e ambientes de trabalho debaixo de temperaturas elevadas, baixas ou com muito ruído. Toda a avaliação de riscos precisa levar em conta as aptidões funcionais e do estado de saúde desse grupo mais velho.

Para beneficiar esse grupo etário mais idoso, a empresa deve fazer uma gestão que permita breves intervalos e mais frequentes, iluminação adequada e, principalmente, concepção ergonômica dos equipamentos. Até porque, na terceira idade, quem não tem dor no corpo é porque já morreu! Brincadeirinha…
 

Emily Sobral

Jornalista em SST
(11) 4238-1955 / 99655-0136
www.segurancaocupacionales.com.br

SIGA O GUIA DA EPI: Facebook Twitter Youtube Blog Orkut Flickr Empreendemia
He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.